Próximo Jogo
Futebol
< Voltar atrás
01 / 05 / 2021

“Senti que o Herculano ia ganhar e apareci para marcar”

“Senti que o Herculano ia ganhar e apareci para marcar”

Miguel Maga estreou-se a marcar

Atingiu a maioridade na presente temporada mas já joga como gente grande. O “Maguinha”, como agora é tratado, foi um dos indiscutíveis na equipa de Sub-23 mas a reta final da temporada trouxe-lhe um presente. Oferecido pelo próprio, que é como quem diz proporcionado pela competência demonstrada, o embrulho da chamada à equipa B não surpreendeu o jogador mas a presença no onze não parecia fazer parte do pacote. Miguel Maga não esconde, por isso, a surpresa. “Eu sabia que era difícil jogar na equipa B porque o jogador que fazia a minha posição está sempre bem nos jogos e nos treinos. O Maga raramente falha e isso iria dificultar a chegada da minha oportunidade. Mas, fruto das adaptações, conseguimos jogar juntos”, contou.

E foi o que acontecera no passado sábado, aquando do triunfo diante do SC Maria da Fonte. Maga, o mais velho, foi posicionado no eixo da defesa, e a vaga na lateral foi aberta. Miguel Maga, o “Maguinha”, agarrou-a e mostrou, com a exibição, que é aposta válida dos vitorianos. O jovem, de apenas 18 anos, quis ainda abrilhantar a performance e estreou-se a marcar. O primeiro golo com a camisola do Rei foi explicado pelo próprio: “Vi o Herculano, senti que ele ia ganhar aquele duelo e ele quando me viu não hesitou em passar-me a bola. Eu só tive de encostar. Fiquei extremamente feliz porque foi o meu primeiro golo e porque foi o primeiro golo da equipa, ainda por cima só faltavam três minutos para o intervalo e era importante regressarmos para a segunda parte a vencer”, contou.

“Importante entrar a ganhar”

A disputar o acesso à Liga 3, o Vitória já ultrapassou com sucesso a primeira das seis batalhas a travar. Numa prova com apenas seis jornadas, todos os pontos se revelam “importantíssimos”. “Foi bom e importante entrar a ganhar, até porque o outro jogo deu empate. A prova é curta e nós queremos é apurar-nos o mais rapidamente possível, é esse o objetivo. Não é um campeonato fácil, as equipas são maduras, sabem o que estão a fazer e nós não temos tanta experiência”, comentou, admitindo as naturais diferenças para com a Liga Revelação, “onde as equipas são naturalmente mais jovens e não sentimos o peso da experiência”.

E tudo uma temporada mudou

Miguel Maga começou a época com 17 anos mas integrou, desde logo, a equipa de Sub-23, tal como já acontecera na temporada anterior. Aquando da primeira entrevista, o defesa partilhou a sua rotina diária, que começava às 5h30 da manhã. Hoje, o dia arranca mais tarde e a viagem até Guimarães é bem mais rápida. “É verdade que já não acordo de madrugada, finalmente acabou essa tortura (risos). Assim que foi possível por lei, tirei logo a carta e passei no exame. Hoje, posso dormir até mais tarde e a viagem é muito mais tranquila”, brinca.

De carro ou a pé, Miguel Maga não tem pressa de chegar ao seu destino. O jovem, natural de Matosinhos, gostaria de seguir as pisadas do ídolo Ricardo Pereira mas sabe que, tal como o ex-vitoriano, o percurso irá depender da sua qualidade e do seu profissionalismo. Que as duas características continuem a acompanhá-lo nesta viagem.

“Senti que o Herculano ia ganhar e apareci para marcar”