Próximo Jogo
Futebol
< Voltar atrás
13 / 10 / 2021

“Gosto de atacar e ter a bola no pé”

“Gosto de atacar e ter a bola no pé”

Mutombo é um dos jovens a atuar nos Sub-23

O berço da nação tem sido, nos últimos anos, um dos destinos preferidos dos turistas . Mas há quem viaje para Guimarães com o objetivo de aqui permanecer e triunfar. Da capital francesa têm chegado alguns jovens futebolistas que encontram no Vitória a casa ideal para prosseguirem a formação. Mutombo é um desses casos.

O defesa, de apenas 19 anos, veste a camisola vitoriana há dois anos, sendo hoje um dos elementos da equipa de Sub-23. Aquando do arranque da temporada, o jogador encontrava-se lesionado mas, totalmente recuperado, Mutombo ganhou o seu espaço na linha defensiva. “Estive lesionado cerca de seis semanas mas quando fiquei apto consegui mostrar que posso ser opção. Para já, tenho-me entendido bem com os outros defesas e a língua não é um problema, até porque já percebo e falo alguma coisa. Sou um jogador que gosta de atacar, de ter a bola no pé. Sei que tenho de melhorar na questão defensiva porque tenho de ser mais rápido a recuar”, disse em jeito de auto-caracterização.

Antes de nova paragem, a equipa vitoriana disputou um dérbi do Minho, que se revelou polémico. Desde aí, o grupo assistiu a uma alteração na equipa técnica que, segundo o defesa, não provocou mudanças nas rotinas. “Os jogadores não notaram diferenças, porque o mister Miguel também já era muito interventivo no treino, já falava muito com a equipa, e é alguém que conhece bem o futebol e dá-nos bons conselhos”, disse. A indicar-lhes o caminho, o novo mister deverá manter a confiança em Mutombo para ocupar um lugar no onze, depois de o atleta ter cumprido 90 minutos. O defesa espera manter a confiança do treinador num jogo onde “a equipa terá de mostrar a sua qualidade”. “Temos de nos preparar bem para voltar às vitórias. Começámos muito bem, e somos até uma das equipas que mais marca, mas temos de somar pontos porque queremos conseguir algo que não tem acontecido, que é o apuramento para a Fase de Apuramento de Campeão”.

Aquando da sua chegada, em Agosto de 2019, Mutombo integrou a equipa de Sub-19, participando, a partir de Fevereiro, na Liga Revelação. A jogar, por isso, pelo segundo ano consecutivo nos Sub-23, o defesa reconhece que o grupo é “mais unido”, lembrando, no entanto, os jovens valores que agora brilham acima: “Não quero dizer se há mais ou menos qualidade na equipa, até porque se repararmos há jogadores que estavam connosco na equipa e agora estão na equipa A e nas seleções. Penso é que a equipa entende-se bem, há um melhor entrosamento, e sentimo-nos mais ‘equipa’”.

Aprendizagem e experiência “fantástica” no PSG

Mutombo é o caçula lá em casa e aquele com “mais jeito” para o futebol. Os irmãos mais velhos também se dedicam à bola mas de forma mais amadora. Ainda assim, foi o exemplo familiar que fez com que o defesa vitoriano rumasse aos relvados. “Os meus irmãos jogavam à bola e eu como ia ver os jogos deles comecei a ganhar a vontade. Tinha seis anos quando comecei a jogar no Nevily Sur Marne e fui, mais tarde, para o Paris Saint Germain”, contou.

Aos 12 anos, o francês enfrentava o primeiro desafio da sua escolha: sair da casa dos pais e instalar-se na residência do clube. “Habituei-me rapidamente, até porque tínhamos excelentes condições no centro desportivo. Os anos em que lá passei foram e serão muito úteis para aquilo que será a minha carreira. Já naquela altura nos sentíamos num clube grande, sendo que agora têm lá jogadores que ninguém pensaria que por lá passassem”, comentou, fazendo de seguida uma comparação com a cidade-berço. “Os meus pais já cá vieram e perceberam que eu estava bem e em segurança. Quem vem de Paris nota uma diferença enorme entre as cidades mas estou a gostar de cá estar. Partilho casa com alguns colegas da minha equipa e isso também acaba por ser positivo”.

“Gosto de atacar e ter a bola no pé”