Próximo Jogo
Futebol
< Voltar atrás
20 / 05 / 2021

“Época de muita aprendizagem”

“Época de muita aprendizagem”

Alberto está a mostrar-se nos Sub-19

A época revelou-se atípica para a maioria dos jovens atletas, no entanto, há sonhos por cumprir e os vitorianos jamais desistem de lutar. Há até quem olhe para os últimos meses e encontre várias razões para sorrir. Alberto é um desses casos. O jovem defesa é um dos nomes em destaque nos Sub-19, já depois de se ter estreado na Liga Revelação. Mas este não foi o único momento feliz na vida do vitoriano: “Apesar de ter estado parado no meu escalão, devido à interrupção dos campeonatos, acho que esta foi a minha melhor época. Comecei lesionado mas depois estive mais de dois meses a treinar na equipa B, o que me deu muita experiência. Olhava para o que os mais velhos faziam e aprendi muito. Depois, ainda pude jogar nos Sub-23 e isso manteve-me sempre ativo”, explicou.

A treinar ou a jogar, Alberto trabalhou sempre no seu limite e a recompensa acabaria por chegar: “Um dos meus objetivos para esta temporada era assinar contrato profissional e, felizmente, consegui. Quando estamos na formação, estamos sempre à espera que nos chamem para assinar contrato, porque é um sinal de que as pessoas contam connosco e gostam daquilo que estamos a fazer. Esse momento deu-me ainda mais força para dar o meu melhor neste torneio nacional e mostrar que a aposta em mim não foi um erro”, acrescentou.

O jovem, de apenas 17 anos, fez por justificar essa aposta logo no primeiro duelo nos Sub-19. O golo apontado ao Leixões SC foi um dos grandes momentos da partida, uma exibição sem mácula do defesa. Ver Alberto jogar é um regalo à vista de todos aqueles que apreciam bom futebol. A defender ou a atacar, a qualidade está à prova de todos e até os golos surgem, por isso, com naturalidade. “Toda a equipa fez um belíssimo jogo e ao intervalo já poderíamos estar a vencer por sete ou oito. Tive a sorte que aquela minha jogada individual acabou por dar golo, algo que já não fazia há alguns anos”, contou.

“Vamos a Braga com uma única intenção: ganhar”

E, curiosamente, um dos golos apontados, ainda com 12 anos, foi ao SC Braga, o próximo adversário dos vitorianos. “Estou cá há oito anos e já disputei alguns dérbis, aliás, até já marquei e espero voltar a fazê-lo no sábado. Esta equipa tem muita qualidade, há jogadores que já estão juntos há vários anos e isso também contribui para um melhor entendimento dentro de campo. As coisas saem de forma mais natural e isso nota-se no jogo”, explicou, reforçando a ambição para o dérbi minhoto: “Esta prova tem poucos jogos e nós não queremos desperdiçar pontos, por isso, vamos a Braga com uma única intenção, que é a de ganhar. Já no último jogo, com o FC Porto, merecíamos ter ganho porque fomos a equipa que criou mais oportunidades”.

Os homens da sua vida

Natural de Santo Tirso, Alberto está no Vitória há mais de oito anos. Foi pela mão do avô que o defesa se entusiasmou com a bola e não mais a largou. Da infância à adolescência, outro homem se cruzou no seu caminho e reforçou a sua paixão pelo futebol. “Quando era criança, costumava jogar à bola com o meu avô, com quem vivia, e mais tarde foi o meu padrasto quem sempre me incentivou. Tenho a felicidade de o poder considerar como um pai e devo-lhe muito. Foi uma bênção ele ter aparecido na minha vida e espero poder retribuir-lhe, a ele e a minha mãe, tudo aquilo que têm feito por mim”, desejou o jogador, visivelmente emocionado.

Da emoção ao lembrar o carinho que recebe no seio familiar, passamos para a alegria de trabalhar com colegas “tão especiais”. “Como já disse, há aqui jogadores que já estão comigo há muitos, muitos anos, como é o caso do Gonçalo Pinto. Aliás, quando ele joga mais posicionado à direita, nós até costumamos fazer umas tabelas que já treinamos há muito tempo e víamos o Dani Alves a fazer, que é um dos meus ídolos, tal como o Ricardo Pereira”, confessou.

O defesa do Leicester é uma das referências de Alberto e, não sabendo ainda onde o destino o levará, o jovem vitoriano foca-se agora em seguir as pisadas do ídolo e “dar tudo nesta casa onde os jovens se sentem realmente observados e valorizados”.

“Época de muita aprendizagem”