Próximo Jogo
Vitória
< Voltar atrás
08 / 03 / 2021

A importância da família

A importância da família

"Sempre me disseram que o futebol não é para mulheres"

Desde que nasceu em Amora há quase 22 anos, até à concretização do seu sonho de ser jogadora de futebol, Carolina Freitas teve que superar vários desafios que a vida lhe propôs. Sobretudo no ambiente familiar, algo que diz ser fundamental para poder ser futebolista vitoriana: "Vamos ter de enfrentar muitos obstáculos ao longo do caminho e sem um bom seio familiar, não há carreira ou atividade que resista". 
E a família de Carolina viveu várias provações desde que esta era criança. Desde desagregação familiar a doença grave, foram várias as tormentas que tiveram que superar para sair mais fortes do outro lado e hoje serem o suporte que a atleta precisa para enfrentar os seus próprios desafios: "Se não tivermos o apoio da nossa família é muito difícil. São eles que nos vão puxar para cima quando algo corre menos bem". 
Tudo isto fez Carolina crescer e torná-la mais forte emocionalmente. Pois para além das suas próprias provações pessoais, ter o futebol como um sonho levou a que tivesse também que enfrentar preconceitos sociais: "Sempre me disseram que o futebol não era para mulheres. Que as mulheres serviam para limpar a casa ou outros trabalhos domésticos como cuidar dos filhos. Mas encaro o futuro de forma positiva. A mentalidade humana está a mudar. Cada vez mais somos aceites enquanto mulheres e jogadoras de futebol". 
Hoje Carolina pertence ao plantel sénior feminino do Vitória que enfrenta os seus próprios desafios com paragem prolongada de competição. Mas isso não deita abaixo a conquistadora que olha para o futuro com otimismo. Porque apesar de todas as dificuldades, está atualmente a viver um sonho: "Atualmente já tenho o meu sonho realizado de ser jogadora de futebol. Agora é continuar a trabalhar e ver o que o futuro me reserva". Esperança e superação na mensagem de Carolina Freitas, mulher e conquistadora.  

A importância da família