Próximo Jogo
Futebol
< Voltar atrás
20 / 01 / 2021

“Sou um jogador feliz neste momento”

“Sou um jogador feliz neste momento”

Álvarez tem vindo a ganhar o seu espaço nos Sub-23

Percorreu 127 km para viver a sua primeira experiência fora de casa. A distância é curta e, também por isso, sair da ‘zona de conforto’ pela primeira vez “custou pouco”. David Álvarez fez toda a sua formação no Celta de Vigo, clube da sua cidade-natal, mas entendeu que perante uma porta entreaberta necessitava de voar e procurar outro porto de abrigo. Encontrou-o em Guimarães, onde tem, recentemente, mostrado as suas qualidades.

“Não me custou muito adaptar-me ao clube e à cidade. O grupo de trabalho integrou-me bem e depois de alguns dias já me sentia em casa. No início, estive algum tempo parado por lesão num tornozelo, e depois pela quarentena, mas hoje já me sinto feliz a jogar à bola e tenho procurado ganhar o meu espaço. Não me arrependo nada da decisão que tomei”, garantiu.

O avançado espanhol, que apontou um dos golos no triunfo diante do Cova da Piedade, soube perceber, ainda em Vigo, que já não seria feliz e preferiu procurar o prazer de jogar à bola noutro país. E se nos primeiros meses pouco se viu de Álvarez os vitorianos começam agora a conhecer melhor os dotes do avançado. “Estava no Celta desde os meus 11 anos mas quando cheguei à equipa B senti que não iria ter a minha oportunidade. Estou a tê-la agora e espero agarrá-la. Já me sinto com mais ritmo de jogo, porque um jogador precisa de minutos, e sempre que jogo procuro dar o meu melhor. Como qualquer jogador, já tive altos e baixos mas o futebol é isto mesmo. Tenho sonhos e quero cumpri-los, por isso tenho de estar sempre focado e motivado”, disse.  

A começar um novo ano civil, Álvarez tem motivos para estar feliz em 2021. A “confiança” que o mister lhe transmite permite-lhe acreditar num futuro risonho e, depois de dois golos, o avançado espera voltar a fazer o gosto ao pé já amanhã, no confronto entre segundo e terceiro classificados: “Vamos disputar o jogo só com um objetivo, que é a conquista dos três pontos. O Sporting é um rival difícil, que também vai lutar para ficar nos dois primeiros lugares mas nós queremos manter-nos sempre no topo desta fase para podermos chegar à disputa da Taça Revelação. Não conhecia esta prova mas tenho sentido que é bastante competitiva e dá muita visibilidade aos jovens”.

Conhecer Portugal pelas mãos do pai

O contato com uma nova realidade, depois de anos no Celta de Vigo, não atrapalha o seu rendimento, que o próprio que melhorar a cada dia. Ao longo da sua formação, o espanhol viveu “momentos únicos e jogos especiais” mas não vive agarrado ao passado. Já adaptado ao “futebol mais intenso e agressivo”, até as diferenças climatéricas já não o incomodam, reconhecendo que a gastronomia portuguesa não desiludiu”. “Quando cá cheguei estava demasiado calor e isso fez-me alguma impressão mas agora é o contrário, está é muito frio. Eu também já conhecia alguma coisa de Portugal porque o meu pai vai muitas vezes trabalhar para Vila Nova de Cerveira, daí eu também já conhecer e gostar muito da cozinha portuguesa”, confessou.

“Sou um jogador feliz neste momento”