Próximo Jogo
Futebol
< Voltar atrás
28 / 01 / 2016

“Temos é de agir e não andar atrás do prejuízo”

“Temos é de agir e não andar atrás do prejuízo”

Sérgio Conceição quer equipa a “assumir responsabilidade de ganhar”

 

A última partida no Restelo permitiu ao Vitória apontar três golos na condição de visitante. Contudo, o igual número de golos sofridos deixou o treinador incomodado. Sérgio Conceição tem abordado as questões defensivas desde a sua chegada ao Vitória e quer a equipa a agir e a assumir o jogo. Por isso, o treinador alerta para que os seus jogadores não tenham de “correr atrás do prejuízo” frente ao União da Madeira e que apresentem a ambição que já se tornou “uma marca desta equipa”.

Leia as declarações de Sérgio Conceição em conferência de imprensa:

“Devemos estar alertados para não correr atras do prejuízo. Agir e não reagir. O União da Madeira tem vindo a melhorar, tem recuperado o estado anímico e também tabela classificativa, é uma equipa muito perigosa. Além disso, tem jogadores capazes de criar muitas dificuldades, pois são muito rápidos e que fazem das transições defesa-ataque um momento forte da equipa. Temos de assumir a responsabilidade de querer ganhar os três pontos e com a ambição de sempre, que já é uma marca desta equipa”

“Nós temos os nossos princípios defensivos independentemente do adversário que defrontamos. Sabíamos que o Belenenses era uma equipa que metia muitos jogadores no corredor central com facilidade na circulação de bola. Tínhamos de ser consistentes, principalmente na questão de os alas ocuparem bem o lado contrário à bola. Agora, frente ao União, a estratégia defensiva será o compromisso que temos de ter depois de perder a bola porque eles têm jogadores rápidos. Nós trabalhamos e até passamos mais tempo a trabalhar os processos defensivos com os atacantes, pois está tudo ligado. Preferia ter vencido por 1-0 e isto não é ser defensivo, é ser objectivo e pragmático. O não sofrer golos deixa-nos sempre mais perto para ganhar”

“Graças a Deus, faltam só três dias para o fecho do mercado porque isto mexe muito com os jogadores. Existem milhares de empresários, até os familiares ligam, e isso é terrível de lidar no balneário. Esta janela que se abre no mercado de transferências não é benéfica para as equipas e para os jogadores”

“Temos é de agir e não andar atrás do prejuízo”