Próximo Jogo
Taekwondo
< Voltar atrás
01 / 01 / 2015

Taekwondo: uma modalidade que chega já a vencer

Taekwondo: uma modalidade que chega já a vencer

Vitória SC acolhe campeões nacionais

Guimarães é a terra de mais um campeão. Os sucessos não foram alcançados num relvado de futebol e são, por isso, algo desconhecidos. Corrigimos, eram. É que o Vitória irá dar a conhecer os feitos de mais um jovem vimaranense que começará, a partir de hoje, a vestir de rei ao peito. Rui Bragança é a mais recente ‘contratação’ e chega ao Vitória com a criação de uma nova modalidade: o Taekwondo.

A modalidade contará ainda com outro atleta, Nuno Costa, e com o treinador de ambos: Hugo Serrão. Foi com ele que estivemos à conversa e recolhemos as explicações iniciais desta nova modalidade, bem como os objectivos da Secção. Além disso, ficamos a conhecer, surpreendidos, todos os êxitos já obtidos pelos seus dois pupilos. Mas vamos por partes.

Criado na presente temporada, o Taekwondo será agora mais uma das modalidades amadoras do Vitória. Hugo Serrão, portuense e professor de Educação Física, será o responsável pela implementação de um projecto que visa abranger duas áreas. “Temos vários objectivos, que estão distribuídos em várias fases inseridas numa estratégia de longo prazo. A primeira é transmitir aos vimaranenses que existe uma nova modalidade em Guimarães. Depois, queremos captar jovens e formá-los de modo a que eles possam participar em competições. Mas ainda estamos numa fase muito embrionária. Temos duas áreas: a da competição, com os atletas a representarem o Vitória ao mais alto nível, e a formação, que irá passar pela criação de uma escola ”, explicou o dirigente e treinador.

E a cativar os vimaranenses está o experiente atleta Rui Bragança. Estudante de Medicina, a frequentar o 5º ano na Universidade do Minho, o jovem de Guimarães conta já com vários títulos no curriculum. Os primeiros passos foram dados com 13 anos, num ginásio, onde conheceu o treinador Hugo Serrão, e desde então Rui Bragança encheu de orgulho todos os seus conterrâneos. Depois de se sagrar vice-campeão do mundo e campeão sénior europeu, o jovem universitário ocupa actualmente a quarta posição do ranking mundial e o quinto posto do ranking olímpico. Por outras palavras, se nos encontrássemos em Dezembro de 2015, Rui Bragança estaria automaticamente apurado para os Jogos Olímpicos, uma vez que participam nas provas os seis primeiros classificados do ranking. Hoje, o atleta vitoriano possui 156 pontos mas estão ainda mais de 300 em disputa. Apurá-lo para os Jogos é o sonho do seu treinador, como nos revelou o próprio: “Apurar o Rui para os Jogos Olímpicos seria o realizar de um sonho mas vai ser muito difícil manter estes pontos. Ainda assim, muita coisa pode acontecer. Este é um desporto completamente racional. Há um estudo muito grande sobre aquilo que poderá acontecer no jogo, não tem nada a ver com o instinto animal que existe em nós. É preciso uma enorme capacidade de concentração e o Rui é um atleta muito racional. Além disso, ele é muito feliz a praticar taekwondo e os êxitos que ele alcançou só foram possíveis graças à felicidade e ao entusiamo quando que apresenta quando está a competir ou a treinar”, explicou.

Para alcançar todos estes sucessos, Rui Bragança treina todos os dias. Aliás, treina duas vezes por dia. O primeiro treino inicia às 6h30 e prolonga-se até às 8. Depois, Rui segue para a Universidade do Minho. No final de mais um dia de estudo, o vimaranense volta a treinar-se durante mais de uma hora. Pois é, caro leitor. Trabalho e sucesso são fortes aliados. “O Rui é realmente um exemplo e gosta muito da modalidade. É preciso gostar mesmo muito disto para conseguir ter sucesso. Além disso, tenho de agradecer aos pais do Rui porque só com o apoio deles é que é possível participar em tantas provas”, disse.

Os atletas vitorianos, Rui Bragança e Nuno Costa, participam em várias provas, sendo que mensalmente é disputado um Open Internacional, cujos pontos aí alcançados são somados à classificação final para o ranking internacional. Em Portugal, não existe ainda qualquer Open. Uma realidade que “entristece” os novos responsáveis vitorianos. “Infelizmente, a prática do Taekwondo não está ainda enraizada no nosso país mas com os êxitos alcançados recentemente as coisas têm mudado. A nível nacional há cerca de três mil atletas federados, em Braga são cerca de cem. Cada Open Internacional junta cerca de mil participantes, sendo que no último, disputado em Espanha, estavam 120 0 atletas”, explicou Hugo Serrão.

 

Taekwondo: uma modalidade que chega já a vencer