Próximo Jogo
Judo
< Voltar atrás
03 / 09 / 2015

“O nosso foco é transmitir os melhores valores”

“O nosso foco é transmitir os melhores valores”

Mário Emídio dirige Judo do Vitória

Há modalidades em que o verbo vencer parece não assumir prioridade no ensino. No Judo, os ensinamentos são outros e formar é, claramente, o principal objectivo dos responsáveis. Formar campeões mas, acima de tudo, homens. As conquistas no tapete são por isso “atiradas” para fora e o que realmente importa é o crescimento do atleta, bem como a interiorização de valores e princípios que, segundo o mestre Mário Emídio, o façam “estar bem em sociedade”.

Em mais uma reportagem sobre as variadas modalidades amadoras do Vitória, damos-lhe a conhecer o Judo, bem como a vertente de Judo Adaptado, que conta já com títulos nacionais. Em conversa com Mário Emídio, mestre que assumiu, recentemente, a Secção depois de Carlos Fortes, escutamos por várias vezes determinadas palavras. Educar, formar, amigo, sociedade, entre outras. E neste restrito número de vocábulos são facilmente perceptíveis os objectivos da modalidade. Mário Emídio explica na primeira pessoa: “O que nos move é a intenção de formar homens. Primeiro, transmitimos-lhes os valores para serem melhores no futuro. Eu não formo campeões mas aqueles jogadores que chegarem ao topo serão campeões se admitirem que só o conseguiram com a ajuda dos amigos. Essa será a nossa maior vitória. A nossa formação segue no sentido de educar o atleta como pessoa, indicando-lhe a melhor postura a adoptar na vida, no seio dos amigos e da sociedade”.

Apesar de pretender transmitir os melhores valores a cada atleta, Mário Emídio reconhece que é a imagem de luta que chama os mais jovens. “As crianças procuram o Judo por duas razões. Por um lado, gostam da ideia de lutar, de vencer. Por outro lado, o Judo é um desporto recomendado pela UNESCO, pois dá à criança e ao jovem um equilíbrio emocional e capacita-os física e mentalmente, o que lhes vai permitir estar bem com a sociedade. Nos primeiros dias, a nossa preocupação é transmitir à criança que mais importante que vencer o outro é vencer a si próprio e ser feliz”, explicou.

À espera das crianças estão três treinadores, todos eles licenciados. Mário Emídio é o principal responsável mas conta com a ajuda dos professores Ilídio Júnior e Rui Carvalho. Além disso, o mestre herdou de Carlos Fontes os melhores princípios. “Eu já era responsável e esta nova posição na Secção não é nova para mim. Trata-se de um assumir natural do legado que o extraordinário mestre Carlos Fortes me deixou. É, para mim, uma honra e um orgulho seguir-lhe os passos”, elogiou.

Os três treinadores assumem a formação de vários atletas. No total, o Judo do Vitória conta com cerca de 60 alunos, divididos nos grupos de formação e de competição. Além disso, há ainda um grupo de praticantes que o fazem apenas por lazer. Do 5 aos 75, há escalões para todos os gostos, bem como o Judo Adaptado para a deficiência intelectual que, recentemente, permitiu ao Vitória arrecadar mais um troféu para a Sala de Edmur. E as conquistas parecem chamar cada vez mais participantes. “A modalidade tem crescido muito. Estou no Judo do Vitória há vários anos e reparo que temos crescido, quer em número, quer em títulos. Mas os títulos são uma consequência dos nossos valores e princípios. O nosso foco é, realmente, educá-los”, concluiu.
 

“O nosso foco é transmitir os melhores valores”