Próximo Jogo
Futebol
< Voltar atrás
23 / 04 / 2016

“Fizemos coisas positivas”


Sérgio Conceição em conferência de imprensa

 

A antevisão ao encontro com o Estoril serviu para Sérgio Conceição abordar a época vitoriana. Aquando da chegada do treinador, e depois de uma série de excelentes resultados, os vitorianos voltaram a acreditar num apuramento europeu. Contudo, os últimos encontros colocaram a equipa fora da luta. No entanto, o técnico lembra – e bem – os aspectos positivos desta temporada, como a valorização e mais alguns jovens jogadores. Além disso, o jovem treinador confessa uma satisfação pessoal: “Fiquei muito satisfeito quando vi no estádio uma tarja a dizer que tinha conquistado o respeito dos adeptos, sabendo de antemão que um treinador vive de resultados. Ponto”.

Conhecedores da forma apaixonada como o ‘mister’ vive a profissão, os jornalistas lançaram ainda uma questão diferente do habitual: “Como tem sido o seu acordar?”. Sérgio respondeu, sorrindo, algo que não faz quando acorda.

Leia as declarações do técnico:

“Quando assumi a luta europeia, fui realista de acordo com aquilo que era a nossa pontuação. A equipa também me fazia acreditar que era possível. Sou ambicioso e meto sempre a fasquia muito alta. Não fazia sentido, depois de adquirida a manutenção, falar no jogo a jogo”

“Fizemos coisas positivas, como potenciar alguns jovens e adquirir, da minha parte, porque fiquei muito satisfeito ao ver uma tarja a dizer que conquistei o respeito dos adeptos, sabendo se antemão que um treinador vive de resultados. Ponto.”

“Espero um Estoril com grande motivação em função da possibilidade de chegar ao sexto lugar. Mas este é um jogo em que queremos inverter este ciclo negativo que a equipa vive. Queremos ganhar e se possível proporcionar um bom espectáculo”

“O Vigário trabalhou comigo durante dois meses. O Areias foi chamado algumas vezes. Tenho três laterais ausentes e o Vigário também tem sido testado aí. Quanto ao Areias, vocês sabem que há um défice de pontas de lança"

“Como tem sido o meu acordar? Isso daria uma conversa de muitos minutos. Tem sido sempre dentro da mesma azia. Mesmo quando ganho, acordo sempre mal disposto. Depois levo 10/15 minutos a ficar um bocadinho melhor. É a primeira vez que estou há tantos jogos sem ganhar nesta minha curta carreira e amanhã espero inverter essas manhãs. Agora, com a chegada do sol, se acordar um bocadinho mais bem-disposto a minha família também agradece".